Envie seu whats:
(54) 99664-0955

MEGA NEWS Ver +


Campanha Máscara Roxa é lançada em Sananduva e municípios da regiãoCampanha Máscara Roxa é lançada em Sananduva e municípios da região

Compartilhe:
Publicado em 26/08/2020, Por Comitê Gaúcho ElesPorElas / ONU Mulheres Brasil

A Campanha Máscara Roxa, que permite às mulheres vítimas de violência doméstica denunciarem os agressores em farmácias, foi lançada ontem (25) para 36 cidades de abrangência das associações dos municípios dos Campos de Cima da Serra (AMUCSER), Turismo da Serra (AMSERRA) e Nordeste Riograndense (AMUNOR), no Rio Grande do Sul.

A atividade, realizada por videoconferência devido à pandemia do coronavírus, foi promovida pelo Comitê Gaúcho ElesPorElas, da ONU Mulheres. Ela encerrou os roteiros de lançamentos virtuais da campanha, que desde julho ocorreram para as 27 regiões do estado, contemplando os 497 municípios.

Até o momento, já são mais de 1.400 unidades de seis redes envolvidas – Associadas, Agafarma, Vida, Preço Mais Popular, Tchê Farmácias e Líder Farma. Em sete dos dez municípios dos Campos de Cima da Serra há estabelecimentos participantes. Turismo da Serra seis dos sete. E no Nordeste Riograndense 14 dos 19.

Em Sananduva, participam da campanha as Farmácias Associadas, Líder Farma, Tchê Farmácia e Vida. Demais municípios da AMUNOR, como Barracão, Tapejara, São João da Urtiga, entre outros, também contam com pelo menos uma farmácia aderindo a campanha.

Representando as três associações de municípios, o prefeito Claudiomiro Fracasso, de Ibiaçá, reforçou que a Lei Maria da Penha propiciou um avanço no combate à violência contra as mulheres. No entanto, falou que ainda não é suficiente. Ele apontou que a sociedade ainda precisa evoluir e que todos os municípios devem estar engajados nessa causa. “Precisamos nos somar a essa grande batalha pelo fim da violência contra as mulheres”.

O coordenador explicou que a Campanha Máscara Roxa surgiu de uma recomendação da ONU, que orientou a seus países a constituição de políticas de enfrentamento à violência doméstica contra a mulher, devido ao aumento e à subnotificação dos casos, em todo o mundo, no período de isolamento social.

A Campanha Máscara Roxa também foi motivada pelo aumento de casos de feminicídios no RS durante o isolamento social. Nos meses de março, abril e maio 28 mulheres foram assassinadas por questões de gênero, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Somente em abril, o aumento foi de 66,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Ao todo, de janeiro a junho deste ano, 51 mulheres morreram vítimas de feminicídios no estado, 166 registraram ocorrência de tentativa de feminicídio e 9.685 registraram ocorrência de agressão com lesão corporal.

 

Como funciona a campanha

Lançada no dia 10 de junho no RS, a Campanha Máscara Roxa permite que mulheres vítimas de violência doméstica façam denúncias em farmácias. Todas que aderiram estão com o selo “Farmácia Amiga das Mulheres”, que serve para que as vítimas as identifiquem. Os atendentes receberam capacitação online para o procedimento e para garantir a segurança da vítima.

Ao chegar na farmácia a mulher deve pedir a máscara roxa, que é o código para que o atendente saiba que se trata de um pedido de ajuda. O profissional dirá que o produto está em falta e pegará alguns dados para avisá-la quando chegar. Após, o atendente da farmácia passará à Polícia Civil as informações coletadas, via WhatsApp, para que o órgão tome as medidas necessárias.

Edegar Pretto lembrou que qualquer farmácia pode aderir. Segundo ele, o objetivo é envolver também aquelas que não fazem parte de grandes redes, mas que estão em cidades menores. Interessados devem entrar em contato com o Comitê: 51 991993641 ou comite.gaucho.elesporelas@gmail.com