Envie seu whats:
(54) 99664-0955

MEGA NEWS Ver +


Coronavírus torna carne escassa nos Estados UnidosCoronavírus torna carne escassa nos Estados Unidos

Compartilhe:
Publicado em 06/05/2020, Por GaúchaZH

Os americanos talvez sejam obrigados a mudar sua dieta. As redes de supermercado começaram a limitar as compras de carne, devido ao fechamento temporário de matadouros pela pandemia de coronavírus. Os temores sobre uma possível escassez do produto aumentaram ainda mais depois que a rede de supermercados Costco decidiu impor restrições sobre o número de porções de carne bovina, suína, ou de aves, que seus clientes podem comprar.

A Costco não é a primeira companhia a anunciar este tipo de restrição nos Estados Unidos: os supermercados Kroger e a empresa Wegmans também adotaram medidas semelhantes. Desde o confinamento, os supermercados tiveram grande aumento da demanda. No sentido contrário, seus fornecedores se viram obrigados a fechar temporariamente os matadouros depois que funcionários foram infectados com coronavírus.

 

Oferta limitada

Vários especialistas consideram que não haverá escassez generalizada, mas sim em determinados locais, dependendo dos fornecedores. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou recentemente um decreto para obrigar os matadouros de carne bovina, suína e de aves a permanecerem abertos para garantir a oferta do produto nos supermercados.

Segundo o Farm Bureau, principal sindicato agrícola dos Estados Unidos, pelo menos 18 instalações de carne fecharam nos últimos dois meses, o que provocou redução de quase 20% da capacidade de processar carne de porco e de 10% no caso da carne bovina. Cerca de 20 trabalhadores de matadouros e fábricas processadoras de carne morreram de covid-19 nos Estados Unidos, e pelo menos 6,5 mil foram afetados em vários graus, segundo balanço divulgado em 30 de abril pelo sindicato UFCW.

As condições de trabalho nestas instalações facilitam a propagação do vírus. Os funcionários trabalham lado a lado nas linhas de produção e costumam descansar e comer em salas que não respeitam a distância recomendada para evitar os contágios.

As empresas do setor garantem que tomaram as medidas de saúdes necessárias para proteger os trabalhadores, como testes de detecção do vírus, controle de temperatura, entrega de material de proteção para o rosto e instalação de painéis de plástico para separar os funcionários em suas atividades. No entanto, segundo as organizações que defendem os trabalhadores, essas precauções foram tomadas tarde demais.

Enquanto isso, alguns fazendeiros não querem mais levar seus animais para os matadouros. Embora os bezerros possam continuar pastando sem muitos problemas, os porcos normalmente são alimentados em chiqueiros, seguindo um calendário muito preciso. Se engordam demais, perdem valor e podem se machucar.

(FOTO: CANVA)