Envie seu whats:
(54) 99664-0955

MEGA NEWS Ver +


Grávidas passam a fazer parte do grupo de risco da Covid-19Grávidas passam a fazer parte do grupo de risco da Covid-19

Compartilhe:
Publicado em 17/04/2020, Por Jornal do Comércio

Apesar de não haver estudos conclusivos sobre o impacto da Covid-19 em gestantes e puérperas, o Ministério da Saúde incluiu, esta semana, grávidas e mães que tiveram filhos nos últimos 45 dias no grupo de risco do novo coronavírus. Essa inclusão levou em consideração a ação de outros coronavírus e vírus gripais, já conhecidos e estudados, como a influenza.

Em nota técnica, a pasta da Saúde informou: "As gestantes e puérperas são mais vulneráveis a infecções e, por isso, estão nos grupos de risco do vírus da gripe. Estudos científicos apontam que a fisiopatologia do vírus H1N1 pode apresentar letalidade nesses grupos associados à história clínica de comorbidades dessas mulheres. Sendo assim, para a infecção pela Covid-19 o risco é semelhante pelos mesmos motivos fisiológicos, embora ainda não tenha estudo específico conclusivo".

De acordo com o chefe do Serviço de Gineco-Obstetrícia do Hospital Moinhos de Vento, Marcos Wengrover Rosa, apesar de ainda não se ter estudos conclusivos sobre impacto do novo coronavírus em gestantes e puérperas, é imprescindível que essas mulheres redobrem a atenção com a saúde. "No caso do H1N1, as gestantes tinham uma maior possibilidade de ter um prognóstico ruim. No caso da Covid-19, não temos ainda um pior prognóstico em relação à gestação e ao parto. Como os sintomas das doenças são semelhantes, é importante que essas mulheres se previnam fazendo a vacina da gripe, porque é importante ter um diagnóstico preciso", explica.

Quantos aos cuidados, o médico reforça que são os mesmos recomendados à população em geral, como higienização das mãos, utilização de álcool gel 70% quando não puder lavar as mãos com água e sabão, e etiqueta respiratória. Além disso, Rosa explica que, de acordo com o CDC, agência norte-americana de controle e prevenção de doenças, não há registros de que a Covid-19 possa ser transmitida da mãe para o filho através do cordão umbilical ou da amamentação.