Envie seu whats:
(54) 99664-0955

MEGA NEWS Ver +


Medidas para conter o Coronavírus adiaram eventos pelo mundoMedidas para conter o Coronavírus adiaram eventos pelo mundo

Compartilhe:
Publicado em 12/03/2020, Por G1

Médicos dizem que há uma grande chance de que eventos no Brasil sejam cancelados ou adiados nos próximos dias, devido às medidas para combate do coronavírus. Desta forma, o Lollapalooza, festival que acontece em São Paulo no começo de abril, poderia ser afetado. A organização do festival não quis comentar o assunto.

Cancelamentos pelo mundo

O número de eventos culturais cancelados ou adiados em todo o mundo tem aumentado em março por causa da epidemia do novo coronavírus.

São festivais, shows, feiras, estreias de filmes e desfiles suspensos ou com mudanças de datas para evitar aglomerações de pessoas. As medidas estão sendo tomadas desde fevereiro.

A lista tem eventos como a E3 (maior feira de games do mundo) e festivais de música (Tomorrowland, SWSX, Ultra Music Festival e Coachella).

Mas por que festivais estão sendo cancelados pelo mundo? "É um contato quase que íntimo, mesmo que não haja troca direta de material biológico", explica Marcello Bossois, alergista e membro do projeto Brasil sem alergia.

Material biológico pode ser sangue ou secreções através da pele, das mucosas (olhos, boca e nariz) ou de lesão. O médico diz que se aproximar de pessoas e falar com elas não transmite o coronavírus.

O empurra-empurra comum em festivais e a proximidade perto das grades dos palcos pode fazer com que exista possibilidade de transmissão entre os fãs.

Bossois explica também que a transmissão se dá através de gotículas maiores: "Então, falar com um amigo ou pessoa próxima... só o ato de falar não transmite o coronavírus."

Para ele, com a doença sendo transmitida entre residentes do mesmo país, a orientação médica é não ir aos festivais: "Se existe um risco, mesmo que mínimo, em aglomerações, a minha opinião pessoal é pelo cancelamento. Se você for, use e abuse de álcool gel e lave sempre que puder as mãos."

"O mundo inteiro está tomando medidas drásticas no sentido de diminuir a velocidade da expansão do Covid-19. Então, eu imagino que tem que ser revista a possibilidade desses grandes eventos, com cancelamento ou adiamento", diz Rosana Ritchmann, infectologista e integrante da Sociedade Brasileira de Infectologia.

A médica diz que é pouco provável que o público possa ser contaminado pelas próprias atrações do festival, quase sempre bem longe dos fãs. O problema é a transmissão entre os fãs.

"O risco é com o próprio público, com as pessoas que podem estar contaminadas e sem sintomas. E esse público pode transmitir o vírus para uma população mais vulnerável", diz Ritchmann.

"Esses festivais estão sendo cancelados por motivos óbvios. Quanto menos aglomeração de pessoas, menor vai ser o risco de disseminação", diz ela.

"Aqui no Brasil ainda não houve cancelamentos, mas a perspectiva é que o número de casos aumente nas próximas semanas. Muito provavelmente, as autoridades, os responsáveis por qualquer evento que você tenha uma grande aglomeração de pessoas... tem que ser discutido o risco de se manter ou não eventos como estes."

Já são mais de 4 mil mortes e 110 mil casos confirmados de Covid-19, a doença causada pela nova forma do vírus, ao redor do mundo.